A mastectomia preventiva se tornou muito famosa depois que a atriz Angelina Jolie realizou a operação. Contudo, apesar de ser um procedimento que pode ajudar na prevenção e no combate do câncer de mama, ele não é recomendado para todas as mulheres.  

Diante disso, continue lendo esse post e entenda o que é, quando é recomendada e os pros e contras da mastectomia preventiva. Confira!!! 

O que é mastectomia preventiva? 

A mastectomia preventiva é um procedimento cirúrgico onde grande parte do tecido mamário, ou até mesmo o seio todo, é retirado. Com isso, é possível aumentar as chances de prevenção de câncer de mama.  

Contudo, esse é um tipo de cirurgia delicada, por conta de toda a questão que envolve os seios. Eles possuem uma forte ligação com maternidade e feminilidade. 

No caso da atriz Angelina Jolie a decisão veio por conta de um histórico família. A mãe dela morreu após quase uma década lutando contra a doença.  

E com a remoção quase total do tecido mamário, a atriz conseguiu diminuir para 5% as chances de desenvolver câncer de mama.  

Quando a mastectomia preventiva é recomendada?

A mastectomia preventiva, apesar de ser relativamente simples de ser realizada, é delicada no sentido do impacto que ela traz para a estética e emocional da mulher. Por isso, esse não é um procedimento padrão que é indicado para mulheres que desejam diminuir as chances de câncer de mama.  

Essa é uma decisão que precisa ser feita após muita discussão entre paciente e médico.  

Normalmente, ela é recomendada após uma análise genética que indique a alta probabilidade de desenvolvimento da doença.  Inclusive, esse foi o caso da atriz.  

Ela fez o exame genético e ele detectou mutações no gene BRCA1 e BRCA2. Esse é um gene que ajuda a produzir proteínas que previnem o crescimento descontrolado de células, e por sua vez diferentes tipos de tumores.  

Basicamente, o exame mostrou que a atriz tinha 87% de desenvolver neoplasia mamária. Por conta disso a realização da mastectomia preventiva foi a melhor decisão no caso de Angelina Jolie.  

Logo, para saber se essa cirurgia é realmente a opção mais indicada, a paciente precisa falar com um médico, e de preferência fazer uma análise genética, caso tenha histórico familiar de câncer de mama ou outros tumores.  

Pros e contras da mastectomia preventiva

Apesar da mastectomia preventiva conseguir reduzir drasticamente as chances de desenvolvimento de câncer de mama, é preciso ter em mente que ela também tem alguns contras. Um deles é o fato da cirurgia de reconstrução mamaria não garantir um resultado 100% idêntico ao natural.  

Inclusive, cerca de 20% das mulheres que passam pela reconstrução ficam insatisfeitas. Além disso, ainda existe o risco de perda tátil e erógena na região. 

A remoção total das mamas é uma possibilidade, mas apenas em casos de mulheres que tem uma alta probabilidade de desenvolvimento da doença, e que sabem de todos os contras.  

O ideal é que você fale com o seu ginecologista ou mastologista para saber quando a mastectomia preventiva. Assim, ele poderá avaliar o seu caso e assim cerificar se esse procedimento é ou não recomendado.