A realização do exame de câncer de mama periodicamente é fundamental, principalmente entre mulheres que já tem mais de 40 anos de idade, ou que possuem casos na doença na família. Isso porque, por meio dele é possível identificar casos ainda no início, o que aumenta a quantidade de possibilidades de tratamento.

Contudo, mesmo tendo esse papel tão importante, muitas mulheres têm dúvidas sobre ele. Desde quando começar a fazer, até os tipos, e nesse post vamos esclarecer algumas dessas questões. Confira!!

Quando fazer o exame de câncer de mama?

Todas mulheres com mais de 40 anos de idade devem realizar o exame de câncer de mama ao menos uma vez por ano. Além disso, em casos de mulheres que tem algum caso na família, principalmente se foram as mães que tiveram o distúrbio, é recomendado realizar o exame mais cedo.

Isso porque a tendência de desenvolvimento de doença é muito maior por conta da predisposição genética.

Quais os tipos de exame de câncer de mama?

Existem alguns timos de exame de câncer de mama que a mulher pode realizar para identificar o distúrbio. São eles:

Autoexame

O autoexame é a forma mais simples do exame de câncer de mama. Ele é feito pela própria mulher, e basicamente é a avaliação dos seios em busca de nódulos, mudanças de textura e tamanho. Cerca de 80% das mulheres consegue descobrir a doença através desse processo.

Mamografia

É um dos mais populares. Ele é feito por meio da compressão dos seios e da realização de um raio X que também busca alterações mínimas. Atualmente já existe uma versão digital dessa alternativa.

Teste genético

Esse exame de câncer de mama é realizado em pacientes de alto risco familiar, ou seja, é realizado em pacientes que tenham ao menos duas mulheres na família que tiveram a doença antes dos 50 anos de idade. Ele visa identificar se os genes BRCA 1 e 2 são perfeitos, uma vez que eles são responsáveis pela reparação celular.

Ressonância magnética

É uma alternativa indicada para mulheres que possuem o tecido da mama muito denso ou usam próteses”. Em vários casos, esse procedimento ajuda a evitar uma cirurgia invasiva demais. Contudo, ele é indicado apenas em alguns casos bem específicos.

Ultrassonografia

Nesse caso é usado um aparelho que emite ondas sonoras e que forma imagens por meio delas. Com isso, é possível rastrear anomalias nos seios, o que ajuda em um diagnóstico precoce e em um tratamento mais eficaz, em muitos casos.

Biópsia

Quando nenhum dos exames acima consegue acusar com clareza se há um tumor, é feita uma biópsia. Nela uma amostra do tecido suspeito é recolhida para análise, por meio de uma agulha fina. E em caso de positivo para câncer, a retirada do tumor é obrigatória.

Agora que você já sabe quando fazer o exame de câncer de mama, bem como a relevância dele, não deixe de realizá-lo. Por meio dele as chances de identificar problemas ainda no começo são maiores, o que interfere diretamente no tratamento.