A mamoplastia de aumento é um procedimento mundialmente conhecido que conquista a maioria das mulheres. Mas, como funciona a prótese subfascial?

Atualmente existem distintos tipos de próteses e diferentes técnicas; e a escolha de qual delas utilizar deve ser feita com base nas características pessoais e apenas o médico poderá aprovar qual deve a melhor.

Além das duas próteses tradicionais subgladular e submuscular, a prótese subsfacial vem ganhando seu espaço.

É considerado um procedimento simples e sem riscos aparentes, considerada um meio termo entre as duas técnicas anteriores, a prótese subfascial oferece as vantagens das outras duas técnicas.

Como funciona a prótese subfascial

Antes de tudo, vamos entender como são as camadas internas da região mamária. O músculo peitoral é revestido por uma camada chamada fascial, como uma espécie de membrana e acima dessa camada está o tecido da glândula mamária, que é responsável pela produção de leite.

Enquanto a prótese subglandular é posicionada abaixo da glândula mamária e a prótese submuscular é posicionada atrás do músculo peitoral, a prótese subfascial é posicionada acima do músculo e abaixo da camada fascial.

A técnica subfascial tem como vantagem principal a capacidade de cobertura da prótese de silicone, que é maior do que na técnica subglandular e sem necessitar de manipulação do músculo com na técnica submuscular. Mas alguns aspectos físicos precisam ser considerados no momento da avaliação pré-operatória para definição de qual delas será mais apropriada.

Vantagens da prótese subfascial

Após entender como funcionam as três técnicas utilizadas para o procedimento mamoplastia de aumento é hora de analisar os prós e contras da prótese subfascial. Confira as principais vantagens:

  • Obtenção de um resultado com aparência bem mais natural;
  • Maior cobertura desse implante quando as mulheres são extremamente magras e possuem hipoplasia mamária. Isso em comparação com a técnica subglandular.
  • Grau de agressão cirúrgica menor;
  • Técnica simples com execução rápida e menos complexa;
  • Se comparado com a colocação subglandular, esse procedimento facilita bem mais a dissecção cirúrgica;
  • Baixo risco com os implantes que são texturizados de contratura capsular;
  • Resultados adequados com implantes anatômicos;
  • Baixo risco de hemorragia ou complicações cirúrgicas;
  • Baixo risco de seroma e boa cicatrização;
  • Rápida recuperação após cirurgia e menos dolorosa;
  • Permite que seja realizado estudos nas mamas, tais como mamografia, biopsias, ecografia etc.

Como qualquer procedimento, esse também tem seus pontos negativos. Algumas desvantagens a ser consideradas, quando a técnica escolhida for a prótese subfascial.

Desvantagens dessa prótese

A primeira desvantagem é que esse procedimento obriga a utilização de prótese texturizada, pois as lisas tendem a apresentar contratura capsular e de perfil anatômico, porque as redondas podem ter o efeito bola.

Outra desvantagem é que por ser uma prática pouco utilizada, pois tanto médicos, quanto pacientes ainda guardam um pouco de preconceito. Como resultado de crenças limitadas sem embasamento e isso faz com que a evolução e melhorias no procedimento fiquem estagnadas.

Além disso, a prótese subfascial tem um custo mais elevado. E a prática comercial dela fica pouco movimentada, pois seu material é mais específico, porém como os resultados são muito bons vale a pena o investimento. Ainda mais se considerado a relação de custo e benefício existentes nessa técnica.

Gostou desse texto? Então dê uma olhada em nosso blog para ter acesso a outros conteúdos relevantes. Clique Aqui!