A mamoplastia redutora é uma cirurgia muito buscada por mulheres que se sentem desconfortáveis com o tamanho dos seus seios. Através desse procedimento cirúrgico é possível reduzir o tamanho e/ou volume das mamas trazendo assim mais conforto para a paciente.

Apesar de ser um procedimento relativamente popular, muitas pacientes ainda têm dúvidas sobre ele.

Por isso, nesse post você vai saber mais sobre essa operação, quando ela é recomendada e os cuidados que precisam ser tomados.

Confira!

Quando a mamoplastia redutora é indicada?

A mamoplastia redutora geralmente é indicada para mulheres que sofrem com algum tipo de distúrbio na coluna, como fortes dores e encurvamento, por conta do excesso de volume mamário. Contudo, essa intervenção cirúrgica também pode ser uma alternativa em outros casos, tais como:

  • Quando a paciente sente a autoestima afetada por conta dos seios grandes;
  • Quando o excesso de volume prejudica prática de atividades físicas;
  • Quando a paciente sofre com algum tipo de alergia ou infecção por conta do atrito da pele com o sulco da mama;
  • Quando a paciente sente dores na coluna;
  • Quando o sutiã começa a pesar mais do que o normal, marcando a região do ombro e forçando a o pescoço.

A mamoplastia redutora é indicada a partir do momento em que a mama já está desenvolvida. Em alguns casos, isso pode ocorrer antes dos 18 anos. E, dependendo, o cirurgião também pode indicar o procedimento de mastopexia – que visa levantar a mama, deixando-a com um aspecto mais bonito.

Quanto custa a mamoplastia redutora?

A mamoplastia redutora pode ser realizada de forma gratuita pelo SUS, caso seja por questões de saúde. O sistema não realiza a operação para fins estéticos.

Já em clínicas particulares o preço desse tipo de cirurgia varia bastante. Podendo custar, pelo menos, entre 10 e 20 mil reais.

Como é feita a mamoplastia redutora e qual o tempo de duração?

A duração média de uma mamoplastia redutora é de três horas.

Depois das avaliações e anestesia, o cirurgião faz cortes na mama para que seja possível fazer a retirada do excesso de gordura, pele e tecido mamário. Em seguida, ele vai reposicionar a mama e diminuir o tamanho da aréola.

Os cortes são bem posicionados e com bons cuidados no pós-operatório tornam-se uma linha pouco perceptível. E as cicatrizes são fechadas com costuras de cirurgia plástica e muitas vezes são usados curativos a base de cola.

Recuperação

Durante o processo de recuperação, a paciente precisará usar um sutiã com boa sustentação para ajudar nos resultados. Além disso, ela também deverá tomar uma série de medicamentos indicados pelo médico, incluindo analgésicos.

Na hora de dormir, a mulher precisa sempre dormir com a barriga para cima. E durante o período de recuperação deve-se evitar mexer o tronco e os braços. Durante esse período a paciente não deverá ir a academia ou dirigir.

Os pontos são tirados entre 8 e 15 dias depois do procedimento cirúrgico. E em alguns casos especiais, a paciente precisa utilizar um dreno por pelo menos 3 dias para evitar que haja o excesso de sangue ou outros fluidos que possam causar infecção no organismo.

Se você sofre com o excesso de volume dos seios, seja por questões de saúde ou estéticas, não deixe de procurar um profissional especializado. Ele verificará se a mamoplastia redutora é uma possibilidade e passará todas as informações necessárias.

Gostou do post? Então confira também o artigo sobre Rinoplastia estruturada e fique por dentro do assunto!