O rosto de uma pessoa é uma característica marcante. Os traços, o olhar e o sorriso são detalhes que fazem a diferença no visual e com o passar do tempo é natural que sinais de envelhecimento como as rugas e as marcas de expressão surjam e muitas pessoas buscam alternativas para amenizar esses efeitos.

O Lifting Facial é um procedimento estético indicado para quem deseja rejuvenescer a face. A ideia do tratamento é reposicionar o tecido e retirar o excesso de pele de maneira que as rugas, os sulcos, a flacidez, a famosa ‘papada’ que é o acúmulo de gordura do pescoço e outros efeitos indesejados sejam amenizados.

Geralmente, o Lifting Facial é uma combinação da chamada Rinoplastia, que foca na eliminação das rugas com a Blefaroplastia, procedimento de correção das pálpebras e o uso de uma ou das duas técnicas pode variar conforme o caso.

Além da cirurgia: confiança, autoestima e bem-estar

Mudar a aparência do rosto com o Lifting Facial não se resume apenas a vaidade. O fato de voltar a sorrir com as bochechas cheias, levantar as pálpebras e transformar a forma de ver a si mesmo (a) e as outras pessoas, não ter que passar centenas de cremes e maquiagens para esconder as rugas mexe muito com autoestima e com a sociabilidade de quem passa por esse procedimento.

A ciência comprova esses efeitos. Um estudo realizado com pessoas que fizeram a cirurgia foi publicado no Journal Of The American Medical e segundo os pesquisadores, ao analisar o antes e depois do procedimento, as pessoas acreditam que ficaram mais atraentes e satisfeitas.

Recentemente, um artigo da BBC Brasil também apontou o quanto o rosto pode revelar de cada um. Partindo deste ponto, estudiosos se debruçaram sobre o chamado “efeito Dorian Gray” e chegaram à conclusão que o envelhecimento do rosto interfere na percepção e revela traços da personalidade que não eram tão óbvios antes. Um exemplo disto na prática são as mulheres que aos 30 anos eram consideradas mais atraentes e sociáveis e aos 50 aumentaram a beleza, mas apresentavam traços menos simpáticos. Ou seja, a expressão facial revela neste caso a autoconfiança dessas mulheres.

Faço ou não?

Muitas pessoas se perguntam como é que elas podem saber se uma cirurgia é indicada para elas ou não. A primeira coisa que deve pesar nessa decisão é a sinceridade com si mesmo (a) e a vontade de fazer o procedimento independente de outras pessoas.

Existem outros tratamentos não cirúrgicos que também proporcionam rejuvenescimento da pele, contudo, a avaliação de um profissional (que deve ser habilitado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) sobre o seu caso e as suas necessidades ajuda a definir em conjunto com você o que é mais adequado no momento. Se informar sobre a preparação para a cirurgia e sobre o processo de recuperação também é fundamental para que tudo ocorra da melhor forma possível.